terça-feira

é noite na escuridão do céu. ouço o apelo da noite como se uma invocação ao meu corpo gerasse o pânico ao pensar as minhas mãos. em ti, é já noite, na escuridão do teu corpo?
na alegria breve dos meus olhos recebo os braços teus em nome da terra.
na tua face - as estrelas. escrevo. abro as janelas para a noite. escrevo mais ainda. é rápida a sombra. essa sombra que condeno ao absurdo que é ser morte e esquecimento.




Dedicado a Vergílio Ferreira, para sempre

1 comentário:

P.... disse...

Aida...simplesmente MARAVILHOSO. Jinho carinhoso