quarta-feira




















as coisas tristes são mais pesadas
e o seu peso cresce quando as lembramos.
dizem-me a mesa vazia
o lago que se move e se verte quando não estás.
penso a cicatriz no vidro
o vidro baço e os teus pés ainda molhados pela chuva.
porque não esperas?
são lisas as tuas mãos no meu pescoço
e o lugar é sempre o mesmo

quando nos lembramos.

Fotografia de berenika.

26 comentários:

bruno .b.c disse...

Ouço, Aida.

Para ti, a Plenitude, no ano que entra.

Um beijo.

Teresa Durães disse...

:)

bom dia!
bom 2007!

sophiarui disse...

a pele antes de ser cicatriz...

é impossível não lembrar!

um abraço aida, bom ano!

que nunca percas a memória dos dias entranhados de ser...

vi dois rinocerontes disse...

Recordo tão bem o peso da cicatriz
a dor que ainda se verte no molhado
da solidão do lago que se espalha no vidro baço da minha identidade

e esqueço.

obg,2ºbj.

Harmonia disse...

Para que escovar os dentes?
Por que esperar mais, e o quê?
Por que pensar em parentes
e indagar por que é que o são?
Por que buscar conhecer
se é real o que o olhar vê,
se é normal a pulsação,
se são o que devem ser
uréia e colesterol?
Em vez de banhos de sol,
por que não banhos de luar?
Por que escrever este poema
e não aquele ou nenhum?
Por que é que o remador rema,
rema, rema, nunca rima,
e eu não rimo barco algum?
quem me assegura que acima
não é um advérbio de tempo
que foi mal classificado?
Por que razão eu contemplo
no meu espelho quebrado
esta barba dura e triste?
Irei fazê-la de novo,
eu que no sábado a fiz?
Por que meter-me entre o povo
pensando que esquecerei
que num pensado país
tive coroa de rei
e já fui muito feliz?
Por que ler, por que não ler
cartas, livros e jornais?
E por que tomar sorvetes
e tristezas vesperais?
Esconder mil cacoetes
por que, para que e como?
Comerei, não comerei
da laranja só um gomo?
Por que saber o que sei?
Por que indagar sem resposta?
E por que fazer perguntas
a tantas coisas defuntas?
Vou escovar estes dentes,
esta barba vou fazer,
vou abrir aquela porta
a todos os meus parentes,
fumar, beber, rir sem mim,
esquecer a vogal i,
— o finíssimo i de fim —,
o o grosso e gordo de boi,
pois o que não nunca foi,
se foi, só foi como se.

Abgar Renault

caminante disse...

Hermosa la música que acompaña el paseo por tu Blog.

Es verdad que la tristeza sobrecarga las cosas. Fuera tristeza.

Feliz y dichoso 2007.

Un fortísimo abrazo.

gabriela r martins disse...

será que é possível espantar.me?

pelos vistos sim

com a suavidade com que escreves

.
.
.

um beijo!

@Memorex disse...

Curiosa como sou, vasculhei o seu canto respirando poesia.
Interpelando-me totalmente até á abudância dos sentidos.

Também escrevo prosa, estéticamente.

Se quiser ver: http://5sentidos-enigmaticos.blogspot.com

Beijo de poesias.
Carinhosamente Memorex

non disse...

Li. Qualidade. Sorri a isso.

Obrigada.

:)

(e lá vou deitar mais uma fotografia do B Berenika para a reciclagem, não repito se posso...)

Bjs

Adriano Gaspar disse...

O único peso das coisas tristes é o peso de tornar possivel vivenciar com mais força a realidade das alegrias... Que transformem todos os vidros em areia e nela brinquemos lavando a alma no mar salgado que nos dá sabor...

Anónimo disse...

meu deus....que "coisa " tão mas tão bela....



fico cega. quieta.

maravilhada.



(piano)



beijo.


rendido.

gabriela r martins disse...

.
.
.

quando volto

.
.

porque não posso deixar de voltar

surpreendo.me

.

com as mudanças

um beijo .Aïda!!!!!!!

aidamonteiro disse...

Bruno,

faço minhas as tuas palavras e acrescento um abraço muito grande:)
e
um
beijinho.

aidamonteiro disse...

Teresa,

obrigada e um óptimo 2007!
Um abraço:)

aidamonteiro disse...

Sophia,

um abraço grande para o 2007!:)

e que sejamos também um pedaçinho do que fica na cicatriz, um pouco do que nos resta de pele...

aidamonteiro disse...

Vi dois rinocerontes,

Obrigada pelo 2º beijo! aqui vai o meu:)

não consigo aceder ao teu blog:(
???

Um abraço.

aidamonteiro disse...

Harmonia,

obrigada pelo poema:)
Um beijinho grande!

aidamonteiro disse...

Caminante,

de tudo um pouco precisamos:)
Um forte abraço.

aidamonteiro disse...

Gabriela,

o beijo
de
sempre:

grande e forte:)

aidamonteiro disse...

memorex,

obrigada pela visita e pela curiosidade:)
Certamente irei visitar o teu espaço e deixar umas palavrinhas!
Um abraço
e
um beijinho.

aidamonteiro disse...

non,

Um beijo e um sorriso:)

aidamonteiro disse...

Adriano,

obrigada pela visita e pelas palavrinhas:)
És bem vindo!

Um abraço.

aidamonteiro disse...

Piano,

Um beijinho grande e a minha alegria pelas tuas palavras:)

aidamonteiro disse...

Gabriela,

depois de um beijo grande e forte
decidi também
deixar um suave abraçinho:)

(eh eh eh)

inBluesY disse...

sim um peso 'pesado'.

aidamonteiro disse...

inbluesy,

hoje, um leve abraçinho
e que tenhas
um bom dia:)