domingo

houve fragmentos de qualquer coisa (não sei o que era) que não se desfez
totalmente nas minhas mãos. há um pó invisível presente em tudo
o que observo (e também nos rios). nunca quisemos falar sobre isto
porque é triste falar desse bocadinho em nós que conhecemos melhor.
a palavra tempo nada diz sobre os lugares ainda por preencher no autocarro.
faltam poucos minutos para as onze e meia da noite e as horas apenas
e um pouco mais do que escutamos ao fim dos dias. o fornecedor
de bolos do café dali da frente leva escondido nas mãos e no corpo
todo (quem sabe) um bocadinho desse pó invísivel e entrou no táxi e
agora é dezembro e disse que quando era míudo fora sempre dezembro.
ainda agora vejo as luzinhas azuis a piscar entre os dedos respondeu o outro
e disse 4 euros, meu amigo e a vida é assim (pausa longa).
qualquer coisa (quem sabe).

fotografia de Alice Lemarim.

12 comentários:

Diva disse...

Mlle,
tem toda a razão, "vida é mesmo assim"...
Bisou

Laura Ferreira disse...

Lindo...

1.01 disse...

que bom cheirar
este pó azul de um futuro Dezembro ...

Luciana Marinho disse...

quanta delicadeza... fiquei encantada com a beleza de tua escrita, plena de mistério e sensibilidade. um abraço!

Diva disse...

Mlle,
Merry Xmas.
Bisou

Susana Miguel disse...

bocadinhos de nós.
um beijinho, Diva;)

Susana Miguel disse...

(...)
obrigada e beijinho, Laura;)

Susana Miguel disse...

gostei muito, 1.01.
embora não pareça, por aqui há muito azulinho (sorrisos);)

um beijinho.

Susana Miguel disse...

muito obrigada pelas palavinhas, Luciana.
vem sempre e um beijinho para ti;)

Susana Miguel disse...

Merry Xmas, Diva;)Feliz 2011!

liliana_lourenco disse...

Lindo! :)

Como sempre entro aqui, encosto-me na minha cadeira e começo logo a viajar. Que magnífica relação essa que tens, com as palavras..

Beijinhos Susana.

Espero que o teu Natal tenha sido mais do que bom. :)

**

Susana Miguel disse...

liliana, muitos beijinhos. gostei tanto (mesmo agorinha, que acabei de chegar)de te ler aqui.
obrigada por todas as palavrinhas que deixas, eu é que fico sem saber como dizer mais sem parecer conversa de blá-blá-blá;)
o meu Natal foi bom, dele, espero que fiquem ainda algumas luzinhas a piscar azul.:)