segunda-feira




















desta vez, quando abrires a porta quero olhar-te
bem dentro dos olhos. mais triste
como quem sabe o incerto e o reconhece. ao longe.
faz tanta falta o vento na janela. o frio.
o coração no lugar da terra. lembra-me
és feliz, meu amor? às vezes acredito
que o mar se estende
e que é em ti que nasce
o fim de tudo.



Fotografia de Berenika.

16 comentários:

inBluesY disse...

agradável e enche, ler.te

Anónimo disse...

"que o mar se estende
e que é em ti que nasce
o fim de tudo."

acabo de ler-te, e às vezes ouço
bem fundo, mas nítido
começar o silêncio.

Um abraço
apaziguado.

al-jib disse...

belíssimo registo a preto e branco

todavia ,com palavras de todas as cores

( já te tinha dito que gosto muito do teu blogue? da música .das imagens .da simplicidade e sobretdudo da escrita? então ,regista que sou parco(a) em elogios )


um beijo!

Anónimo disse...

Bonito.

( mas se alguém nos arece a origem do fim de tudo não será hora de procurar o início de tudo?)

beijo.

:)

BFS

caminante disse...

Sugerente, serena... la música de fondo.
Un fortísimo abrazo.

aldina disse...

O Blog é muito bonito! A música é uma das minhas favoritas, as fotografias são excelentes e os textos muito ssensíveis!

Até sempre!

Teresa Durães disse...

gostei bastante também.

boa tarde

aidamonteiro disse...

inbluesy,

obrigada:)
Um grande abraço.

aidamonteiro disse...

bruno béu,

que o silêncio nos diga uma paisagem aberta,
a vontade de permanecer.

Um forte abraço.

aidamonteiro disse...

al-jib,

não.ainda não o tinhas dito:)

fico contente pelas palavrinhas(não só por as teres escrito, mas pela forma simples como o fizeste)

Obrigada
deixo-te um sorriso e um abraço.

aidamonteiro disse...

Saltimbanco,

à tua pergunta não sei responder:)
mas fica um abraço
a alegria pela tua visita.

aidamonteiro disse...

caminante,

Obrigada:)
Sempre bem vindo.

Um abraço.

aidamonteiro disse...

aldina,

obrigada pela visita ao meu canto das cigarras,pela bondade da leitura e pelas palavrinhas:)

Até Sempre!

aidamonteiro disse...

teresa durães,

Um abraço:)

Luiz Carlos Reis disse...

Aida,

Um canto que é difícil esquecer!
Aprumado!

beijinhos!

aidamonteiro disse...

Luiz,

obrigada:)
Feliz pelo regresso!