terça-feira




















gostava tanto que ficasses. que me falasses dos barcos
que ainda passam por nós. das cadeiras
onde nos sentámos tantas vezes e possíveis fomos
no cimento da boca.
tenho a força do pulso. esta outra forma de ser
frágil sem que o saibas.
onde guardas as coisas tristes?
e as mãos
ainda transpiram debaixo de água?

Fotografia de Berenika.

23 comentários:

Luiz Carlos Reis disse...

Aida,


Passagens da vida! Retrato inconteste de um monólogo pródigo e lírico.
Belo texto!

Abraços e fica bem!

Anónimo disse...

Aida, Aida...
Quando é, é mesmo.

Beijinhos de passageiro
(Berenika incluída).

caminante disse...

Los barcos que por nosotros pasan siempre dejan estelas. Estelas que queremos sean promesa de rutas seguras, acogedoras, con tempestades superadas...

Un fortísmo abrazo.

Mendes Ferreira disse...

como um barco...a regressar. de um outro rio.



puríssimo.



beijo.

Teresa Durães disse...

gostei bastante!

al-jib disse...

esta facilidade espectacular de muito bem escrever com palavras simples.

saúdo.te ,musa!

Anónimo disse...

Bonito mesmo

(caramba que é feito dos homens desta terra? Pois se ele não quer ficar, fico cá eu!)

Obrigado pelas gargalhadas lá no salto o sonho.

:)

Beijo

al-jib disse...

apesar da Beleza ser indizível ,tu consegues exprimi.la ... caramba ... como isso irrita o berbere que há em mim

( falso )


deixo.te o beijo.

Anónimo disse...

sim!

bruno .b.c disse...

Volto e leio sempre.
Assim mesmo, Aida: os poemas que respirem. Aqui dás-lhes esse tempo.

Um abraço e um beijo.
(Entrega também um à Berenika.)

aidamonteiro disse...

Luiz,

obrigada pelas palavras sempre atentas.

Um abraço forte.

aidamonteiro disse...

Bruno,

não sei o que aconteceu para que o teu primeiro comentário tenha ficado como anónimo:(
as minhas desculpas e um forte abraço.

Volta sempre com mais beijinhos passageiros!

aidamonteiro disse...

Caminante,

Un fortísimo abrazo:)

aidamonteiro disse...

mendes ferreira,

:)

aqui fica um abraço forte
e um beijo.

aidamonteiro disse...

Teresa,

aproveito para te dizer que gosto muito do teu nome!

Volta sempre!
obrigada.

aidamonteiro disse...

al-jib,

deixo.te o beijo.
e sempre que voltares terás outro à tua espera:)

aidamonteiro disse...

saltimbanco,

eh eh eh (deixo-te outra gargalhada e um abraço forte)

aidamonteiro disse...

anónimo,

para ti, também um abraço.

aidamonteiro disse...

bruno,

o beijinho foi entregue a Berenika:)disse-me ter gostado e envia outro:)

aproveito também para dizer que admiro a forma das tuas palavras, a beleza da tua escrita.

Um abraço muito grande e um beijinho de boa noite.

Maria disse...

Vi-te pelo blog avidacompedro. Daí a visita. Pessoas que amam palavras. Gostei muito do teu blog, particularmente deste post. Lindíssimo o teu poema, um abraço.

aidamonteiro disse...

maria,

obrigada pela visita e pelas palavrinhas:)
a porta está aberta!

Um beijinho.

inês leal, 31 anos à volta do sol disse...

***

mar disse...

passei a manhã a devorar os teus poemas. fácil é chorá-los, difícil é morre-los. creio, susana, que os havia lido, há muito tempo atrás, quando ainda era possível acreditar em sonhos. de qualquer modo ainda hoje os leio, no meu íntimo todos os sonhos são possíveis, na minha realidade todos os sonhos são ridículos. mas não hei-de nunca deixar de procurar-te, ainda que me pareça longe o nunca te ter procurado.

um beijo.

mar.