quinta-feira




















«O amor não é consolo, é luz»,
Simone Weil

e de vez em quando ela corria
tentava acertar na luz.

Fotografia de Berenika.

27 comentários:

alice disse...

e de vez em quando ela demorava-se muito e quando vinha, trazia os bolsos cheios de migalhas do amor que ia encontrando no caminho. e distribuía sementes pequeninas nos canteiros dos vizinhos. as rosas começavam a crescer e formavam um jardim e faziam a primavera. era a aida que chegava com as flores a crescer nas mãos. obrigada. abraço muito especial. já me fazia falta!

bruno .b.c disse...

pego num molho quase
de flores mas não de
abraços será possível? e
lanço-os ao ar, aqui.
os que sobreviverem à
pancada da luz sem se
fazerem uns com ela, quero
que os apanhes e lhes contes
um poema. sim, aida?
um dois três: um
beijo.

sophiarui disse...

a querida Weil, ela própria luz... se pudesse ainda abraçá-la... a tanta luz que me deu!

a ti ainda posso aida! sente um abraço destes braços... vês? tão pouco!
só tenho isto para te retribuir...

isabel mendes ferreira disse...

luz


luz



luz




luz
_______________


toda a luz.


aqui.

daniel sant'iago disse...

O fascínio...
Bj.

Patrícia Carreiros disse...

Obrigada:)

aramis disse...

Gosto! Mas ela tem mesmo muito de correr...
Beijos
Aramis

Letras de Babel disse...

a luz corre mais depressa que nós
por isso é que só no pensamento (com velocidade igual ou superior à da luz)
acertamos o amor.

______

bjs

nan

martim de gouveia e sousa disse...

da tentativa ineficaz uma nova luz, um outra tentativa se desenha. bjo.

gabriela r martins disse...

aïda

mas há tanto que
fizeste
o pleno

em luz



um beijo ,princesa!

Luiz Carlos Reis disse...

Aida,


O amor é sempre iluminado. Belo e contextual.

Amplexos e Boa Semana!

isabel mendes ferreira disse...

b e i j o




pascal.

aida monteiro disse...

Alice,

também das tuas mãos crescem flores
nesta primavera.Guarda
uma sementinha da aida no teu canteiro.

abraçinho especial.

aida monteiro disse...

Bruno,

contar-lhes-ei um poema,
um poema de luz
a crescer no escuro.

Um beijo.

aida monteiro disse...

sophia,

e é tão bom receber um abraço,
e é tanto o que se diz nele.

fica com um meu.

aida monteiro disse...

Isabel,

toda a luz para ti.

Um abraço na largura do teu
e muitos ovinhos de chocolate:)

aida monteiro disse...

Daniel,

a acreditar.

Um abraço.

aida monteiro disse...

Patrícia,

não me esqueci:)
Um abraço.

aida monteiro disse...

aramis,

e não «corremos» sempre?

:)

Um abraço.

aida monteiro disse...

letras de babel,

a tentar acertar
deixo-te um abraçinho.

aida monteiro disse...

martim,

:)
certeiro.

a desenhar um sorriso
deixo-te um abraço.

aida monteiro disse...

gabriela,

abraço

abraço de luz

abraçinho de princesa:)

aida monteiro disse...

Luiz,

:)

um abraço
nesse caminho.

Kraak/Peixinho disse...

Verdade, mesmo quando o nevoeiro, sem brilho, apresenta uma cor diferente às nossas vidas. Não é brilho, mas é outra tonalidade.

:)

aida monteiro disse...

peixinho,

um abraço grande
pelas tuas palavrinhas.

:)Volta sempre!

inBluesY disse...

e que brilhe sempre para de quando em vez ela encontrar a Luz.

1bj

aida monteiro disse...

inbluesy,

:)

um beijinho.