quarta-feira





















do amor sei as mães que cantam as coisas
mortas, a traqueia que desce a fechar-se vazia
a parte ardida. o fundo, uma gaveta e eu. e eu
a pensar o contorno do óleo no escuro
dos dedos. diz-me, sabes a rosa que transpira? lembro-a
quando ainda fechamos os olhos, os fingimos morrer para
depois nos amarmos muito. do amor, eu ouço portas
a gritar a espessura da noite, a madeira frágil
a encher a casa. um plátano de seda
a repetir-se na sombra.




Fotografia de Berenika.

30 comentários:

isabel mendes ferreira disse...

------------do amor sei o contorno de vir aqui....


procurar e encontrar o sentido maior do que não sendo claramente dito é exponencialmente grito.


beijo.

gabriela r martins disse...

ainda me admiro quando em ti admiro
a lucidez da escrita

.
.
.

perdida entre o antes e o depois

.

fico.me o beijo

( dividido a meio )

Pedro Branco disse...

Deixo-me estar roçando a cara na cortina. Macia. Do amor. De ti.

alice disse...

atrás da cortina, aida, quantos poemas adormecem clandestinamente?

beijinho enorme.

vi dois rinocerontes disse...

Não é por seres tão bela e sensual, não.

Admiro a luz que vês e que gera nas minhas noites a libertação.

O que dizes resvala sobre a alma e reverbera.

Comigo partilhas carinhosamente os teus tremores,

transportas-te por entre o doce vermelho e negro, do amor.

Como te agradecer... uma rosa para ti.

gabriela r martins disse...

princesa aïda!

havia.me esquecido que as princesas cumprimenta.se com reverência

então

penitencio.me
e
retiro.me
reverentemente

( mas deixo.te um beijo amigo ,às escondidas!!!!! )

gabriela r martins disse...

*cumprimentam.se - desculpa.

della-porther disse...

Aida

Demoro e quando venho...é uma delícia ler-te.


della

Teresa Durães disse...

(depois de uma ausência prolongada da minha parte nos blogs apareci)

e gosto de ler

(embora este em especial arrepie)

Presença disse...

Sons que são testemunhas e cumplices de dois amantes, numa volupia do desejo.

Bjo doce

Klatuu o embuçado disse...

As mães são gavetas... que acabamos por já não saber arrumar, dentro do crescimento do «mobiliário» que vamos acumulando.

Luiz Carlos Reis disse...

A ausência traz saudades...Aquí escreve-se muito bem e com o coração...Sentí no fundo do peito a emotividade das tuas palavras...Radiante de voltar a lêr-te!

Abraços para tí!

Letras de Babel disse...

do amor.
que vai do ponto ao final

sophiarui disse...

as mães... esse sopro de fogo até à morte!

aida monteiro disse...

Isabel,
que doces palavrinhas as tuas.
Obrigada pela ternura.

Um beijinho muito grande:)

aida monteiro disse...

amiga gabriela,

:)

Um beijinho meu, também às escondidas!

aida monteiro disse...

Pedro,

o toque da cortina é macio
mas nem sempre é leve.

Um abraço grande.

aida monteiro disse...

Querida Alice,

alguns adormecem, outros esperam em silêncio a boa hora.

Um beijinho enorme:)

aida monteiro disse...

Vi dois rinocerontes,

Obrigada pelas palavrinhas e pela rosa.

Um abraço.

aida monteiro disse...

Della-Porther,

é sempre bom receber-te aqui.
Um abraço grande

aida monteiro disse...

teresa,

que bom o teu regresso!

Um abraço bom.

aida monteiro disse...

Presença,

Um abraço:)

aida monteiro disse...

Embuçado,

«...E o filho senta-se com a sua mãe à cabeçeira da mesa,
e através dele a mãe mexe aqui e ali,
nas chávenas e nos garfos.
E através da mãe o filho pensa
que nenhuma morte é possível...»

Herberto helder.

Um abraço.

aida monteiro disse...

Luiz,

as minhas cigarras gostam que voltes sempre.

Um abraço grande:)

aida monteiro disse...

Letras de Babel,

És bem vinda!
Um abraço.

aida monteiro disse...

Sophia,

as mães...sempre esse sopro que dizes.concordo com as tuas palavras e deixo-te um poema de Daniel Faria:

«A mãe disse-lhe escreve-me
De lá de longe para onde vais
E ela disse não é longe casar
E a mãe sorria de dor
E parecia de deslumbramento»

Um abraço.

menina limão disse...

gostei muito deste poema, menina-fã-de-b.berenika. já cá tinha vindo antes roubar-te as fotografias. :)

aramis disse...

Lindíssimo...
Beijos
Aramis

aida monteiro disse...

menina limão que também é marota?

:)

Um abraço.

aida monteiro disse...

Aramis,

obrigada pelas palavrinhas:)

Um abraço grande.