domingo

geometria de um mundo pequenino

deixavas escorrer um pouco de água para dentro
de uma panela de alumínio. depois chamavas-me: filha
e ajeitavas a querer afundá-lo muito no útero
o teu vestido de pano. a água aguardava a velocidade da fervura
eu pousava as canecas de barro no tabuleiro, imaginava a geometria
de um mundo pequenino, calculava alto a tabuada do sete
e às vezes eu sabia que tu choravas e as nossas mãos
pareciam quase circulares quando víamos os meses a desaparecer na janela.
bebíamos o chá e dizias filha a querer muito os teus olhos estão cansados.
podemos esperar, mamã? e sentávamo-nos ainda com o quente
doce na boca a tentar entender a nudez das árvores.
depois à noite levantávamos as pernas ao alto e era uma casa de riso
quando debaixo dos lençóis nos descobríamos
duas meninas a crescer no tempo
e nos víamos adormecer.

30 comentários:

alexandre ,o grande disse...

Venho em cerimónia solene de apresentação de armas

Um abraço português

Pedro Branco disse...

Não consigo ver! Ceguei com esta voz. Talvez quando acorde...

Beijo.

bruno .b.c disse...

aida, estás a ver
o gesto da menina?
quando o círculo
se fechar, ou
seja, se abrir
cabem lá muitos
segredos. um
abraço graaande
porque nos sentamos
ainda
.

alice disse...

e as meninas cresceram e agora também são árvores onde outras crianças fazem contas de somar e de multiplicar. escrevem no tronco sete vezes um beijinho. e a magia é tal que o resultado é sempre o dobro do que a matemática ensina.

;)*

Az disse...

obrigada por me teres visitado e assim aberto uma janela para eu me vir sentar aqui. palavras pousadas no colo.

@Memorex disse...

Silêncio presente
encaixilhado a observar.

São momentos
com o que se passa
no mundo.

Atendo a voz da
Escrita,
mergulhada em mim,
em ti,
neste espaço das cigarras.

Ainda não sei os resultados da Ressonância Magnética, já passou 3 semanas.

Somente ansiedade existe em mim :)

Um beijão, gostei do teu e emblemático poema!

Carinhosamente Memorex.

gabriela r martins disse...

delicioso

.
.
.

lindo este teu texto

.

inocentemente resolvido



um beijo ,princesa aïda!

Teresa Durães disse...

lindíssimo este poema. de recordações que se não as temos gostaríamos de as ter

boa tarde

Letras de Babel disse...

(...)____________

(não sei se isto é um suspiro, se um sorriso, se uma lágrima, se um grito. sei que é muito.)


________________


brilhante poema.


beijos

sophiarui disse...

queria habitar para sempre o círculo inteiro da areia que se faz e refaz...

que lindo aida! (suspiro) que lindo!

Presença disse...

De volta à infância... a uma viagem tão sentida e vivida no mais profundo de nós... afinal só somos uma criança adulta!!!

Bjo doce

Luiz Carlos Reis disse...

No deleite das palavras, as emoções sentidas se harmonizaram e tornaram-se poesia.
O sublime cantarolar do muito que a vida nos traz.

Perfeito! Abraço para tí!

alice disse...

nove dias e meio depois, ainda estavam a dormir... beijinhos ;)*

aida monteiro disse...

alexandre,

um abraço.

aida monteiro disse...

Pedro,

obrigada pelas palavrinhas de sempre:)e que ao acordar
exista um sorriso.

um abraço.

aida monteiro disse...

bruno,

porque o gesto
é o de abraçar sempre
hoje abraço-te em segredo.

um beijinho.

aida monteiro disse...

alice,

as tuas palavrinhas são sempre doces, e é tão bom ter-te por cá :)

o meu beijinho
a multiplicar por sete
e o dobro dos abraços.

aida monteiro disse...

Az,

obrigada pela visita.
a janelinha está aberta:)

és bem vinda!
Um abraço.

aida monteiro disse...

memorex,

sempre boa a tua visita!

Um beijinho grande
e que a ansiedade se transforme
em alegria:)

aida monteiro disse...

gabriela,

a alegria de sempre
ao receber uma princesa:)

Obrigada
e um abraço apertadinho.

aida monteiro disse...

Teresa,

:)

obrigada pelas palavrinhas.
Fico contente por teres gostado!

Um abraço.

aida monteiro disse...

letras de babel,

...

é de tudo um pouco:)

um beijinho grande.

aida monteiro disse...

sophia,

:)

um abraçinho
sempre aqui à tua espera.

aida monteiro disse...

presença,


é tão bom regressar lá
de vez em quando, não é?

um abraço:)

aida monteiro disse...

Luiz,

um abraço
a «cantarolar» esses dias.

:)

aida monteiro disse...

alice,

depois acordaram com a luz a entrar pela fresta das janelas
e dançaram descalças pela casa :)

apertadinho
o meu abraço.

isabel disse...

que encanto, o teu cantinho! voltarei* um beijinho com pedaços pequenino de lua amarela *

aida monteiro disse...

Isabel,

obrigada:)
um beijinho grande
com pedaçinhos de céu azul.

inês leal, 31 anos à volta do sol disse...

que maravilha...*

aida monteiro disse...

:)

beijinhos Inês.
obrigada pela visita.