quarta-feira

ainda há pouco confundia a geografia do rio
com a função de um pequeno electrodoméstico.
de cada vez que digo: a terra fica mais escura ou
guarda bem o segredo e para sempre essa caixa, o frio
de uma taça qualquer aparece e logo o comparo a uma lanterna
de aço, ao movimento dos ombros quando subimos a rua. ainda há botões
dentro dos frascos, ferrugem e humidade nas linhas, cascas
de laranja que colecciono secas e costuro a apertá-las muito
no forro, na metade cinzenta do teu casaco. ainda há pouco
dizia: os estilhaços parecem redondos, quando
queria ter dito: o reflexo nas árvores
as mãos de um deus.

44 comentários:

Natália Nunes disse...

você e suas palavras-colcha-de-retalhos...

sophiarui disse...

"cascas de laranja que colecciono
secas e costuro a apertá-las muito
no forro"

gosto tanto aida

abracinho

ana disse...

e os estilhaços como folhas de árvores caídas nos outonos.

bonito, aida.

Graça Pires disse...

E o reflexo das árvores nos nossos olhos...
Aida, gostei do seu espaço e dos poemas que fui lendo. Um beijo.

eyes shut disse...

posso não dizer nada e só dizer que sinto?

é que, às vezes, preciso só de sentir...

blue disse...

e sente-se, aida, sente-se.

Bru disse...

gosto muito de le-la...
demoro porwue é mais gostoso vir e ler um bocado...assim demoro ouvindo essa canção que é uma das que mais adoro.

bom fim de semana


bru

menina tóxica disse...

acho que vou (mas é) começar a coleccionar estes poemas e a costurar um no forro de cada casaco meu.
:)

CNS disse...

E fica o aroma de laranja nas cores que cheiram a cinzento. Leva-se na pele, Aida.

Tiago disse...

Lindos versos, que descortinam a geografia lírica com cheiro de casca de laranja.

Ótimo blog, visual caprichado, escritos interessantes, parabéns.

Bjs.

gabriela r martins disse...

regresso meio reconfortada apesar do muito calor e da imensidão das areias

.
.

os desertos são assim

.

tórridos ,mas deixam sempre imensa saudade quando os deixamos...
regressei ,mas não voltarei mais ao Imprimatvr .quem quiser encontrar.me doravante terá de o fazer
em verso:
http://cantochao.blogspot.com
em prosa:
http://pontocardealnorte.blogspot.com

porque o Imprimatvr cumpriu.se!!!!!

ps - um beijo .espero.vos ,se tiverem a pachorra de me aturar e ler nas direcções acima indicadas .gozem as férias .eu continuo disfrutando.as ,ao máximo ,em outros lugares e latitudes .mas vou estando ,também ,por aqui/ antes ,por ali ... até!!!!!!!

Natália Nunes disse...

Obrigada, Aida, por sua presença no meu blog.

Beijos...

Isabel Silva disse...

... sempre belas as tuas palavras e repito-me porque do belo nasce o belo... estive no andanças... e lá encontrei o belo... o puro... o mágico... o real da utopia dos meus sentidos...

... um grande beijo e quando vieres cá abaixo apita... adorava rever-te...

jorge vicente disse...

tu transformas as palavras em raios de sol.

tão belo o poema e o quadro!

será assim a casa do deus?

um abraço
jorge

blá blá blá disse...

"os estilhaços parecem redondos, quando queria ter dito o reflexo nas árvores as mãos de um deus."

E eu queria ter dito: "os estilhaços parecem redondos"
mas o que disse foi mesmo: "o reflexo nas árvores as mãos de um Deus"
Quando não se diz o que se queria dizer, acaba-se dizendo o mesmo por camuflagens mais suaves.

O layout tinha que ser, aquele antigo já me estava a dar muitas comichões, tinha que o mudar.

beijos
Kerubina

lampâda mervelha disse...

são como línguas de gato
amanteigadas
no sabor da tarde

Mar Arável disse...

SÓ A POESIA CONSEGUE ARREDONDAR
ARESTAS - MESMO SABENDO QUE AS ARESTAS - POR VEZES TAMBÉM SÃO NECESSÁRIAS - E OS ESTILHAÇOS

BELO

Kraak/Peixinho disse...

A geografia do rio corre mais devagar que as suas águas. Os sedimentos depositados pelo solo serão com certeza uma nova vida para vários seres. Os estilhaços redondos? Como são as folhas das árvores? Rectangulares?

Lindo!

Bjzz

Vanessa disse...

Há pessoas que têm o verdadeiro dom de fazer coisas bonitas. Obrigada.

Quase me sinto em casa, aqui.

Beijinhos*

aida monteiro disse...

retalhos de um tempo, natália.

abraço.

aida monteiro disse...

obrigada, sophia.

gosto tanto quando chegas e do abracinho que me deixas quando partes. outro apertadinho
para ti:)

aida monteiro disse...

ana,

(...) e a memória seca das folhas. o vento que fica sempre depois de cada outono.

um beijinho.

aida monteiro disse...

um abraço bom, graça.

...

aida monteiro disse...

eyes shut,

precisamos todos um bocadinho
(e às vezes, muitas) desse só sentir.

um beijinho.

aida monteiro disse...

blue,

beijinho e sorriso.

aida monteiro disse...

bru,

a porta está sempre aberta, a música sempre a tocar e as cigarras gostam de companhia:) podes entrar e ficar o tempo que quiseres. obrigada pelas palavrinhas.

um abraço.

aida monteiro disse...

um sorriso que não cabe aqui, menina tóxica.

gostei tanto do que disseste que não tenho palavras.
(...) guarda alguns abracinhos meus
no bolso do teu casaco, sim?

:)

aida monteiro disse...

(...)

são muitas as memórias
no aroma de uma laranja. elas parecem gomos escondidos por detrás da pele.

abraço grande, cns.

aida monteiro disse...

um abraço, tiago.
volta sempre. não percas
a geografia que te trouxe a esta casa:)

aida monteiro disse...

querida gabriela,

eu encontrar-te-ia até na china:)
uma vez perto da vista, para sempre
no coração.

:) beijinhos.

aida monteiro disse...

natália nunes,

:)

aida monteiro disse...

beijinho, isabel.

fico contente com o regresso.
combinado:)

aida monteiro disse...

abraço grande, jorge.

talvez um dia, a essa pergunta, (quem dera) possamos responder.

aida monteiro disse...

um abraço, kerubina.

e o mais importante é irmos dizendo.

aida monteiro disse...

lâmpada vermelha,

o tempo antigo que regressa sempre.

abraço.

aida monteiro disse...

sim. é verdade, mar.

obrigada pela visita. o mar aqui
é sempre bem vindo.

um abraço.

aida monteiro disse...

peixinho,

uma forma diferente para cada dia. sempre a mesma textura.

um abraço.

aida monteiro disse...

a casinha também é tua, vanessa:)

um beijinho a agradecer as tuas palavrinhas nela.

Fábio Vanzo disse...

Lembrou-me Murilo Mendes.

aida monteiro disse...

:)

abraço.

mar disse...

olá!

vim retribuir
o abraço

e dizer assim:

a tua escrita é mesmo mesmo
linda

:)

aida monteiro disse...

olá!

um abracinho.

é bom ver
o mar aqui:)

Anónimo disse...

Ès o brilho dos meus olhos...
Tenho muito orgulho em ser tua irmã!!!

Beijinhos,
Claudia Sofia

aida monteiro disse...

:)

e tu a minha!
(sorrisos e olhinhos a brilhar)
gosto muito quando me visitas nesta casinha.

beijinhos.