quinta-feira


















diz-me o mistério das árvores
quando calam. da realidade das fontes
não precisas, sei já a catástrofe
nos meus olhos.


Fotografia de Katia Chausheva.

23 comentários:

sophiarui disse...

(...)

Natália Nunes disse...

Eu também sei já a catástrofe dos meus olhos...

Que bom ler-lhe nova!
Gosto tanto daqui, é tudo tão bonito...

Abraços!

ana disse...

só sei que não há catástrofe nenhuma em ler-te. apesar da força das palavras, apesar do despertar das fontes.

blá blá blá disse...

garganta apertada com este!
1 2 3 4 5 estrelinhas de aperto de garganta

beijos apertados

Graça Pires disse...

Qualquer sinal de catástrofe pode ser apenas um barco que partiu do nosso olhar. Um beijo.

Mateso disse...

O coração humano recusa-se a acreditar num universo sem uma finalidade.
(Kant)
Bj.

isabel disse...

...a beleza do teu silêncio é a beleza plena de todas as outras coisas...

blue disse...

entre-tempos, vamos ficando suspensos sobre as palavras que se aguardam. como estas.

Kraak/Peixinho disse...

Eu preciso dessa fonte!

menina tóxica disse...

:))))*

(agora sempre que ouço esta música lembro-me desta casinha)

gabriela r martins disse...

há um verso branco num poema negro.
abraçados

.
.

o meu abraço branco

.

abraçado a um beijo negro ,princesa Aïda!

Letras de Babel disse...

dos meus
[para alguém que não soube cantar quando as árvores se calaram]
a falta de brilho.




um beijo

________.

Manuelinho disse...

Que força e ao mesmo tempo que desencanto!
Estranhas e belas palavras, ainda assim a mostrarem - na catástrofe dos [teus] olhos] - a alma.
Bj

eyes shut disse...

as árvores também calam catástrofes...

Flávia Vida disse...

"o mistério das árvores quando se calam"... isso é lindo. por demais profundo
beijos
:)
ps: amo este cantinho. a música então, nem se fala ...aiai colocarei você nos meus favoritos ...

lampâda mervelha disse...

é como chegar a casa...

Isabel Silva disse...

... como diz a Sofia... abraça uma árvore... e como dizem as tuas belas palavras... o mistério das árvores... e eis que se aproxima o outono... estação da mais bela poesia da alma... estou desejosa de ler as tuas palavras inspiradas por esta tão desnuda e pura estação... e claro... aguardo que me envies desta vez não um, mas dois dos teus belos poemas para aMacapiZine (que já está no forno)... beijos... e não queres dar um pulinho ao IberFolk?
;-)

Luiz Carlos Reis disse...

Olá minha querida, como tem passado? Obrigado pela constância e carinhos ao Oficina. A nobreza de Fernando Pessoa diria mais:
"Segue o teu destino. Rega as tuas plantas. Ama as tuas rosas. O resto é a sombra de árvores alheias” (Fernando Pessoa)
Flores e um sorriso para tí!

CNS disse...

Soa vento. Sabe a sal.
um beijo

aida monteiro disse...

não tenho tido tempinho para responder a cada um. se o fizesse seria à pressa. e como o meu coração não me permite, desta vez só consigo deixar uns quantos abracinhos a envolver as doces palavrinhas de todos:)

Natty Lioness disse...

Obrigado por passares no meu blog e se quiseres alguma coisa podes encomendar ;)

Agora não tenho tempo mas logo envio-te uns poemas que adoro - amor william blake :)

Beijo
sofia

aida disse...

:)

abraço grande.
envia, envia depressinha:)

Andreia Ferreira disse...

Tudo muito muito bonito por aqui :) **